obesidade e câncer

Como a obesidade pode aumentar os riscos de câncer

Uma pesquisa do Instituto Cancer Research UK mostrou que mais de 2,5 mil casos de câncer poderiam ser evitados por semana com mudanças no estilo de vida. Enquanto o tabaco é frequentemente associado à doença, outros vilões alertam os pesquisadores, como a obesidade, que pode provocar 13 tipos diferentes de câncer.

Os casos relacionados ao excesso de peso aumentaram de 5,5% em 2011 para 6,3% em 2015, segundo levantamento do instituto britânico. No entanto, houve uma queda nos diagnósticos associados ao tabaco, creditada às campanhas antitabagismo que reduziram o número de fumantes.

Segundo a OMS, 13 em cada 100 casos de câncer no Brasil são atribuídos ao sobrepeso e à obesidade. Os dados se tornam ainda mais alarmantes quando associados ao fato de que mais da metade dos adultos brasileiros está acima do peso: o excesso de peso corporal na população adulta aumentou de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016, conforme alerta divulgado pelo Instituto Nacional do Câncer.

Dr. Tiago Pontes, oncologista do Grupo CON – Oncologia, Hematologia e Centro de Infusão, sinaliza os principais tipos de câncer relacionados à obesidade: endometrial, rins, gástrico, cólon, reto, pâncreas e trato biliodigestivo, mama, adenocarcinoma de esôfago, ovário e mieloma múltiplo.

Os fatores que associam o excesso de peso à doença variam conforme o tipo de câncer. “Há relação entre câncer de pâncreas, obesidade e sedentarismo, por exemplo, e também entre esse tipo de câncer e a diabetes, que pode ser um fator de risco”, explica o médico. “A obesidade aumenta o risco de câncer colorretal em cerca de 30%, ao comparar obesos e pessoas com peso normal. Isso acontece devido ao aumento da resistência à insulina e aumento de IGF-1, ambos fatores que promovem inflamação”.

Ainda segundo o Dr. Tiago, outros quadros pressupõem a relação da obesidade com o câncer, como alterações de hormônios sexuais, ganho de peso excessivo na pós-menopausa, e aumento da resposta inflamatória induzida pela obesidade ou excesso de peso, que pode promover a multiplicação de células cancerígenas.

Segundo posicionamento divulgado pelo INCA no ano passado, 1 em cada 3 casos dos tipos de câncer mais comuns no Brasil poderiam ser prevenidos por meio da alimentação saudável, prática regular de atividade física e peso corporal adequado. O documento revela que a alimentação inadequada, em conjunto com consumo de bebida alcóolica, inatividade física, excesso de peso corporal e obesidade são responsáveis por 21% dos cânceres em mulheres e 22,4% em homens.

“É importante chamar a atenção da população para mudanças de hábito que podem prevenir doenças graves como o câncer. O excesso de peso é um bom exemplo disso, pois não tem uma associação tão evidente com o câncer como outros fatores, como o tabagismo”, finaliza o Dr. Tiago.